sábado, 28 de julho de 2012

Eu sei que há aqueles que não conhecem o que é amor, confundem, e chegam até a fazer mal uso das palavras, achando que o que sentem é amor. Mas quando a vida já lhe deu uma amostra, você já sofreu um pouco, sentiu na pele o que é, você sente de uma forma diferente, dá um valor diferente, chega até a não aceitar que façam mal uso do verbo amar. Mas sabe, tudo são fases, como no vídeo-game, você já está matando o chefão, e vê sua priminha eufórica porque passou raspando a primeira fase. Eu sei que as próximas serão mais difíceis, mas quem sou eu pra tirar essa alegria dela? Deixa que as fases venham.. o máximo que posso fazer, sem interferir, é auxiliar, dar dicas, mostrar alguns atalhos depois de vê-la quase desistir.. Mas nunca pegar o controle da sua mão, e me achar no direito de jogar por ela. Hoje a minha felicidade, estampada no brilho dos meus olhos, é resultado de vários chefões vencidos. E ao olhar pra trás e ver quantas fases passei, eu sei que posso comemorar, alias eu devo, como quando eu passei na primeira fase. Como quando ganhei meus presentes mais esperados. Como quando me encantei com aquele garoto no jardim de infância, e disse que o amaria pra sempre. Ser feliz é ter coragem, de ser e de sentir. Eu sou feliz.
"É claro que eu não o amo tanto assim quanto eu acho que amo. Esse jeitinho perfeito dele às vezes me cansa até. - (cheiro o perfume dele) - Merda! Esse perfume dá um negócio no meu estômago! Droga, eu o amo mais do que imaginava."
Eu sou uma ogra. Eu sei bem disso. Todos sabem disso. Você não sabe disso. Eu não sei bem qual é a imagem que você guarda de mim, mas eu tentei te avisar. De algumas formas talvez, mas tentei. Mas paixão é uma doença, e o primeiro lugar que ela te afeta é a visão. Tudo fica lindo, meigo, e você cantarola com os passarinhos no amanhecer. Mas isso passa. É até eu fiquei rendida a meiguice do nosso amor. Afinal impossível não me render a você. Aos seus olhos.. Ao seu sorriso.. Tá, eu confesso, você despertou alguma coisa louca em mim, que me fez voltar a ter 13 anos, e até acreditar em príncipes. Você é um príncipe. Dois meses de puro carinho, do mais sincero que existe. Mas cabe a mim lhe remeter o informe que no momento em que eu soltar piadinhas, te zoar mais do que elogiar, implicar com os detalhes mais ridículos, vai ser carinho mais sincero ainda. É meu bom e velho jeito Fiona de ser. Tenho lá meus receios que neste momento se pergunte se há algo errado, por isso já deixo em prévio aviso, eu tô amando cada dia mais.